quinta-feira, 13 de julho de 2017

love trip, love trap


Santa Ana, Colônia del Sacramento, Uruguay - 2017
De manhã sinto uma parte dos teus olhos em cima dos meus, entrecortando o barato da tua visão furta-cor, furta dor. Acaricio minhas pálpebras lembrando de fazer o mesmo em você, no silencioso escuro do teu quarto sem janela, pra se desfazer dos quilos desses dias sem nos ver.

Tão cedo, seco o rosto com um pedaço da sua camisa, pelo menos finjo que é. Acordo, logo esqueço. Como o pão quentinho do supermercado e guardo o gosto estranho da falta que faz o que não conheço e arrisco querer ainda que conhecesse. Era tão forte quando você olhava pra mim, (te) lembro entre uma caneca de café, um baita copo d’água & outros.

Rego a orquídea, a samambaia e a jiboia pensando nas contas pra pagar, em tudo que tenho que vender antes da viagem, na câmera nova que está pra chegar, em como seria bom ter teu beijo de perto. Lavo um prato, três copos e uma frigideira e tiro onda comigo mesma dizendo que me pareço aquela panela feita justamente pra não ter tampa. Dou risada e não me importo porque sei que o tempo é outro pra mim. Fecho os olhos em desabafo, brincando de esconde-esconde quando quem aparece é sempre você.

Mantenho sob as sete chaves do meu corpo cada fragmento teu que ficou em mim. Teu cheiro é só o que eu conheço quando você está no mesmo espaço-tempo que eu, flutuando na órbita de qualquer galáxia tão longe, love trip, love trap, a gente se encontrar de madrugada estrelada, correr com nuvens nos pés e fazer um piquenique pra saborear cometas. Você sabe que me tem em algum lugar por aí, não sabe?

No dia seguinte, danço aquela música no chão sujo da sala imaginando que você está ali fazendo seus passos sexys, modernamente desajustados. E acho que a coisa mais incrível que já fiz na vida foi dançar como se ninguém estivesse olhando, anyway, who cares? De olhos fechados quase posso te puxar pra cá, que alucinação sustentar fantasias, visões de nós dois! Usa seu poder de mago e me faz teletransportar pra dentro do teu abraço. Eu sei que esse papo é old, mas usa aí essa sua mágica, vem pra perto de mim. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário